Resenha – O doador de memórias – Lois Lowry

Corr_Capa_O_Doador.pdf

Na sociedade futurística supostamente utópica de o doador de memórias, os órgãos públicos,os indivíduos e as unidades familiares vivem em perfeita harmonia. Não existe dor,medo,tristeza,desigualdade..porém também não existe amor,alegria,ou qualquer outro sentimento.

A sociedade é perfeitamente organizada, cada individuo desempenha um papel fundamental no desenvolvimento da comunidade, vivem suas vidas sempre aceitando a palavra dos anciãos sem se questionar.

Já quis se esquecer de uma lembrança ruim?

Há muitas gerações anteriores o estado decide que apagar as memórias e os sentimentos das pessoas seria o melhor a fazer para manter a paz. Portanto os indivíduos só vivem o presente, e não se recordam com o que aconteceu ao mundo antes disso.

Uma única pessoa é designada a um cargo muito especial a cada geração: O cargo de guardião, a pessoa que é responsável por guardar todas as memórias do mundo,é capaz de sentir, e tem a função de orientar os anciãos em tempos calamitosos.

Quando cada jovem completa 12 anos ele deixa de ser criança e a ele é incumbido um cargo, que é estudado e escolhido pelos anciãos,podendo ser o de : cuidador,mãe biológica,professor,juiz ,operário etc.

Jonas recebe o cargo de ser o próximo guardião das memórias,ele nem sabe o que isso significa,mas sabe que é um cargo importante e cheio de responsabilidades.Ele será  o responsável  por guardar todas as memórias da sociedade.

Ao receber esse cargo,Jonas deve passar por sessões  de treinamento com o antigo guardião..A cada sessão Jonas vai descobrindo um pouco mais sobre o mundo que lhe foi oculto: os sentimentos,as cores,a música ,o amor,memórias simples de dias amenos no sol e na neve e comemorações especiais.

Mas o mundo não é só “alegria”, Jonas também descobre coisas terríveis como as guerras, a morte, a fome.

A partir daí Jonas começa a se questionar sobre as ações do estado, sobre a vida pacata que lhe foi imposta e se questiona se aquela falsa perfeição vale realmente a pena.

Ele junto com seu instrutor, decidem que precisam devolver as memórias e os sentimentos para a comunidade.A partir daí ,os dois bolam um plano para libertar todos de sua condição de vida supostamente perfeita. Em ” O doador de memórias”,Jonas terá a difícil tarefa de libertar seu povo e a si mesmo .

O que achei :  Lois lowry sabe nos fazer raciocinar. Seu livro não se trata apenas de uma ficção, ele nos mostra o que muitas vezes o que os governos fazem hoje em dia. Dizem muitas vezes que tudo está perfeito pra que possamos começar a acreditar nisso, quando na verdade toda essa “perfeição” muitas vezes não se passa de um fino véu para encobrir suas mentiras.

O livro tem claras e boas referências como a do mito da caverna de Platão : toda a sociedade da trama representa os prisioneiros,as correntes são os ideais a eles passados pelo estado e que eles reproduzem ,a caverna seria a comunidade,e Jonas seria o prisioneiro que se liberta da caverna e descobre a realidade. Ao contar a verdade aos outros prisioneiros cegos pela única realidade que conhecem, ele é ameaçado, mas agora seu dever é o de libertar todos da caverna.

Leitura cativante e que nos faz refletir sobre a sociedade,o estado,o exercício do poder  e nossas próprias vidas..

TEXTO POR ALINE BIANCA

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha – O doador de memórias – Lois Lowry

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s